Aprendemos a amar

O Amor é um laço maravilhoso que une as pessoas. Quando amamos somos realmente felizes. Porém um relacionamento de qualidade é algo complexo, que necessita de aprendizagem.

Desde que nasce o Homem não pára de aprender. É nesse aprendizado que o Homem mergulha no ambiente sócio-cultural e vai se tornando Homem. Assim, o mundo ensina muito ao Homem, transformando-o e, ao mesmo tempo, este próprio Homem transforma esse mundo, no qual vive, através de suas respostas, ações e descobertas.

É certo que o Homem aprende de tudo sobre a vida, mas quando se trata da questão "amor" todos acreditam que este se realiza naturalmente não necessitando de nenhum aprendizado anterior.

Se o amor fosse algo tão natural, ou seja, se não necessitasse de aprendizado algum, os relacionamentos seriam todos felizes e fáceis de lidar. Porém sabemos que isto não corresponde à realidade. O relacionamento a dois é algo bastante complexo, que também deve ser aprendido.

Quando o amor não "dá certo" o resultado é trágico: pessoas magoadas e muito frustradas, relacionamentos estagnados, sem afeto e nem respeito.

Porém todos esperamos ou intuimos que é através do amor que o Homem pode encontrar a verdadeira felicidade, mas que isto não é algo que está pronto e acabado, mas que está em constante desenvolvimento e, como um flor, merece constantes cuidados e atenção para se manter viva.

Assim, não se sabe amar por natureza. Amar, viver e conviver a dois é um processo de constante investimento afetivo, doação, cuidado e aprendizado.

Referência(s)

BLANK, Renold J. - Aprender a amar. São Paulo: Edições Paulinas, 1983.

Autor(a)

Salete Monteiro Amador

Psicóloga formada pela PUC/SP, Pós graduada em Saúde Coletiva pela FUNDAP. É Terapeuta e Supervisora de Terapia Comunitária. Editora do Site Ser Melhor e Assessora Técnica em Saúde Pública.

Contato

salete_psi@yahoo.com.br
@sermelhor
https://www.facebook.com/sitesermelhor


Veja Também