A tradição como destino de vida e morte

abril-despedacado-poster01.jpgO que fazer quando se tem de escolher entre a tradição e o destino? E se a isto estiver ligada uma extrema pobreza, tanto material quanto de possibilidades? Bom, talvez antes de responder fosse interessante assistir a Abril Despedaçado.

A história gira em torno de duas famílias rivais em pleno semi-arido nordestino nos idos anos 1910. Quando o sangue da camisa de quem foi morto “amarelece” é hora da vingança, que consiste em eliminar o mais velho dos filhos da família rival e vice versa.

É provável que você diga algo como “mas eu acho que já vi em algum lugar história parecida”. Sim, realmente a idéia geral podemos dizer ser quase arquetípica e não traria, em primeira análise, grande novidade se não fossem alguns detalhes como as atuações de Rodrigo Santoro, José Dumont e Ravi Ramos Lacerda, além da excelente fotografia, as tomadas de câmera em grandes ângulos que nos trazem uma visão “bela” de um nordeste completamente seco.

No filme uma das famílias que está prestes a acabar, pois so restam dois filhos (Rodrigo Santoro e Ravi Ramos Lacerda), possui uma comunicação muitas vezes não verbal, fruto talvez das duras agruras do trabalho pesado, da ignorância, da rudez do lugar. Os entendimentos muitas vezes se fazem por observação de um animal, uma estrada, uma camisa.

A sutileza também surge nas imagens, que sugerem opções aos personagens (a bifurcação da estrada) mas que estes não conseguem ver, talvez por não se acharem livres para escolher. O destino é a tradição! Não existe outra opção a não ser segui-la e eventualmente morrer.

Mas o filme nos leva na direção de uma nova esperança, uma nova visão das possibilidades, se não muitas diferentes, pelo menos uma que não seja aquela inevitável. É esta tensão entre o mudar e a estagnação no presente uma das grandes marcas deste maravilhoso filme.

Mudar não é só uma questão de opção, mas uma questão de se reconhecer e conhecer a irracionalidade em volta. Mas a vida guarda grandes segredos, que nos fazem mover inevitávelmente, as vezes até mesmo ignorando a vontade de permanecer onde se está.

Abril despedaçado com certeza é um filme que deve ser assistido várias vezes, pois a cada exibição podemos reconhecer um novo caminho e entender os caminhos dos outros.

Por tudo isto Abril Despedaçado, em minha opinião, se não é o melhor filme Brasileiro está entre os melhores. Indispensável!

Referência(s)

Abril Despedaçado
País: Brasil
Direção: Walter Salles
Elenco: José Dumont, Rodrigo Santoro, Rita Assemany, Luiz Carlos Vasconcelos, Ravi Ramos Lacerda, Flavia Marco Antonio, Everaldo Pontes, Othon Bastos, Wagner Moura

Autor(a)

Daniel Pereira

Formado em Física / Astrofísica pela Universidade de São Paulo. Fez cursos nas faculdades de Filosofia, Geologia e Matemática na Universidade de São Paulo. Fez cursos na área de artes plásticas e história da arte no Centro Cultural São Paulo. Também frequentou o curso de Introdução a Psicanálise pelo Instituto Sedes Sapientiae. Atua na área de tecnologia e web desenvolvendo soluções voltadas para várias áreas do conhecimento, incluindo pesquisa com redes sociais. Atualmente atua para um grande portal de notícias.

Contato

danielusp@bol.com.br
@sermelhor
https://www.facebook.com/sitesermelhor


Veja Também