Cinco exemplos de rios no mundo que foram recuperados

Reno, Mariana e Tâmisa.
Reno, Mariana e Tâmisa.

Apesar de muitas vezes sermos pessimistas quanto ao destino dos rios, principalmente depois do desastre de Mariana, exitem bons exemplos de recuperação e despoluição pelo mundo.

Infelizmente, apesar da grandeza e importância dos rios para o planeta e população, exemplos de descasos não faltam. No Brasil, a tragédia de Mariana - ocorrida em 5 de Novembro de 2015 - comove e preocupa os brasileiros, especialmente os ribeirinhos que tiravam seu sustento do rio e a população das cidades que utilizava a água para o abastecimento. A tragédia matou oficialmente 19 pessoas dentre moradores e funcionários da empresa Samarco, responsável pela mineração no local, sendo um dos maiores (se não o maior) desastres ambientais do Brasil. Foram afetados 633 km de outros rios e córregos (além do Rio Doce), 1469 hectares de vegetação além de 600 famílias desabrigadas.

O Rio Tietê é outro vergonhoso exemplo de descaso no Brasil e símbolo do quanto o país simplesmente despreza seus rios.

Nascendo em Salesópolis, ao leste do estado de São Paulo, segue 1.100 km na direção ao oeste, banhando 62 municípios do estado. Termina desembocando suas águas no rio Paraná. Do século XX adiante aconteceu intensificação da poluição do Tietê por causa da atividade industrial e redes de esgoto sanitário, em especial na área metropolitana e na cidade de São Paulo. Pela década de 1980 era considerado rio poluído e contaminado, exalando forte cheiro.

O assunto acerca da despoluição é antigo. A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo, Sabesp, começou no ano 1992 o Projeto Tietê, que possui como foco a coleta e tratamento dos esgotos de 18 milhões de indivíduos, com melhora desta forma da qualidade da água do Tietê.

Até o momento houve investimento de 1,6 bilhões de dólares e mesmo assim ainda não existe qualquer alteração significativa percebida pela população. O projeto se encontra na terceira etapa, que abrange a fase de 2009 a 2016, e BNDES liberou mais R$ 1,35 bilhão.

Apesar de tudo é possível sim recuperar os nossos rios e os exemplos podem ser vistos ao redor do mundo. Abaixo listamos cinco rios que, com vontade política e da sociedade, foram despoluídos:

Sena - França

Vista aérea do Rio Sena em seu trecho dentro da cidade de Paris
Vista aérea do Rio Sena em seu trecho dentro da cidade de Paris - Autor: Mortimer62

O rio Sena, na cidade de Paris, teve degradação pela poluição industrial, caso comum a mais rios da Europa. Mas, ocorreu agravante, a recepção do esgoto doméstico. Pela sua situação lastimável, desde os anos 1920, este rio é alvo de preocupações do meio ambiente.

Porém, somente no ano 1960 que franceses passavam a fazer investimento em revitalizar o lugar, com construção de estações de tratamento do esgoto. Atualmente, já há 30 espécies de peixe pelo rio, porém o processo para que isto ocorresse se caracterizou lento. No início existiam somente 11 estações a funcionar. No ano 2008, já se resumiam 2 mil, porém a meta se caracteriza que no ano 2015 o rio já permaneça 100% despoluído.

Cuyahoga - Estados Unidos

Rio Cuyahoga
Rio Cuyahoga no Cuyahoga Valley National Park - Autor: Kevin Payravi

Este rio tem localização no estado de Ohio, Estados Unidos, e apresenta 160 km de tamanho, passando por Parque Nacional do Vale Cuyahoga e desaguando pelo Lago Eire. Anteriormente, o trecho do rio entre Akron e Cleveland foi de modo intenso poluído por causa da atividade industrial e pela rede de esgoto residencial. No mês de junho do ano 1969, a mancha de óleo e mais produtos químicos foram responsáveis por incendiar o rio, chocando as pessoas.

Rio Cuyahoga em chamas devido a vazamento de óleo.
Rio Cuyahoga em chamas devido a vazamento de óleo. Autor: James Thomas

A partir do incidente, Cleveland fez investimento de mais de 3,5 bilhões de dólares para purificar a água e aos sistemas de esgoto. A previsão é de investimento de mais 5 bilhões pelos 30 anos seguintes.

Tâmisa - Inglaterra

Rio Tâmisa ao anoitecer com céu avermelhado pelo por-do-sol e reflexo em suas águas
Rio Tâmisa na altura da cidade de Londres,Inglaterra - Autor: DAVID ILIFF. License: CC-BY-SA 3.0

Trata-se do principal rio da Inglaterra e se destaca aqui pela própria poluição que teve duração por mais de um século. O rio apresenta 340 km de extensão e segue pela capital, Londres, anteriormente a desaguar em Mar do Norte. A história da poluição deste rio é bastante antiga. No ano 1610, a água não era determinada potável, devido ao esgoto de Londres ter sido despejado pelo rio e em 1858 suas águas estavam tão poluídas e fétidas que o cheiro chegava a atrapalhar as atividades do parlamento Inglês

Em 1869 houve construção da primeira usina de filtragem para reduzir a questão do esgoto. A sujeira da área metropolitana então era captada e despejada em outro lugar do rio, de maior afastamento. Pelo começo teve resultado, e o rio exibiu melhoras, porém retornou a piorar devido ao desenvolvimento urbano. No ano 1950, o Tâmisa se encontrava de novo morto, pois não existia oxigênio e era determinado esgoto aberto.

Assim, o governo foi responsável pela construção de várias estações de tratamento, no período de 1964 e 1974. Em idêntica época, as iniciais espécies de peixe passavam a surgir e atualmente existem salmões e trutas, aves, que retornaram a achar o próprio alimento no Tâmisa.

Han - Coréia do Sul

Cheonggyecheon, um afluente do rio Han passando no meio de uma cidade.
O Cheonggyecheon é um dos afluentes do rio Han

O rio Han é composto por confluência do Namhan e Bukhan, segue por Seul e se une ao rio Imjin, que na seqüência vai desaguar pelo Mar Amarelo. E possui 514 km de dimensão, com 320 km navegáveis. O Han passou por forte degradação em períodos da Segunda Guerra Mundial e Guerra da Coréia, sem contar o despejo do esgoto.

A alteração do ambiente iniciou através do plano de Desenvolvimento e Implementação de Gestão da Qualidade da Água, no ano 1998. Uma das ações de importância foi revitalização do rio Cheonggyecheon, que faz corte do centro de Seul e carregava esgoto ao Han. Atualmente, este rio é determinado limpo e possui algumas espécies de peixe. Porém, parte das pessoas ainda não tem confiança em relação à qualidade da água para ingerir e tem preferência pela mineral.

Reno - Europa Ocidental

Imagem 180 graus do rio Reno
Vista panorâmica do Rio Reno na altura do porto de St. Goarshausen, Alemanha - Autor: Felix Koenig

O rio Reno se destaca, pois a própria recuperação demandou a cooperação de muitos países. O Reno surge pelos Alpes suíços e faz trajetória de 1.320 km até deságua pelo Mar do Norte, Holanda, seguindo por França, Alemanha, Luxemburgo e Bélgica. Pelos anos 1970 o rio foi determinado cloaca a céu aberto do continente europeu, por causa da poluição gerada por atividade industrial e resíduos provenientes de agricultura.

A reviravolta da situação iniciou no ano 1976, em que a Comissão Internacional de Proteção do Reno fez assinatura do acordo inicial contra poluição química do Reno. Porém, a ação decisiva foi realizada no ano 1987, quando houve elaboração do Programa de Ação para o Reno, como resposta para incêndio em depósito de itens químicos de Sandoz, Suíça, no ano 1986.

Com o final do despejo dos dejetos de indústrias e mais tipos de poluição, o rio atingiu sua recuperação e a fauna completa retornou ao Reno, a incluir salmões e trutas. As margens tiveram recuperação e são lugares de lazer e esporte para a população da Europa.



Veja Também

Receba nosso boletim por e-mail

Cadastre seu e-mail e receba nossos boletins e material exclusivo

Comentários relacionados a este artigo