Movimento dos animais sem mídia

Apesar de não aparecerem na mídia por muitas vezes serem esquisitos ou viverem em lugares ermos, 564 espécies de animais estão altamente ameaçados, incluido alguns exemplares únicos.

Pela simpatia que despertam na opinião pública, certos animais, como golfinhos e pandas gigantes, vivem na mídia quando o assunto são espécies ameaçadas de extinção. Mas nem todos os bichos sob este risco costumam ter seus nomes e suas imagens divulgadas na imprensa.

Agora, a sociedade Zoológica de Londres (SZL) decidiu que a vez dos "sem mídia" chegou. E, para isso, criou o projeto Edge (acrônimo, em inglês, para algo como Globalmente Ameaçados e Evolutivamente Distintos). Ou seja, uma designação políticamente correta para animais desconhecidos e esquisitos. O projeto Edge vai arrecadar dinheiro para proteger, em nível global, uma lista de animais até agora ignorados por outros planos de conservação.

Muitos deles são representantes únicos de seu gênero, e outros já podem estar extintos. Em geral, estes bichos, além do fato de estarem em perigo, não tem outros animais evolutivamente próximos deles. Uma lista geral deles inclui 564 espécies, sendo que o programa do SZL vai centrar forças nos 100 mais ameaçados. A ação do Edge, no primeiro ano, deve ter seu foco voltado para 10 animais, entre os quais estão o morcego-nariz-de-porco (tido como o menor mamífero do mundo), o hipopótamo-pigmeu, o lóris-delgado, o equidna-de-bico-longo e o boto chinês baji (talvez já extinto). Há também, na lista mais longa, animais gigantes, como a baleia azul, e até um mais conhecido do público brasileiro, o peixe-boi amazônico. Para os interessados, a lista completa está no site www.edgeofexistence.org. Lá, os internautas poderão acompanhar o desenvolvimento do projeto e fazer doações. O SZL pretende primeiramente enviar especialistas para os habitats dessas 10 espécies e recrutar estudantes locais para ajudar nos trabalhos de avaliação. Segundo o cientista-chefe do projeto, jonathan Baillie, nos próximos cinco anos já haverá planos de ação para os 90 outros animais da lista.



Veja Também