Reciclando o lixo e as idéias

Na sociedade do descartável, é inevitável que uma hora ou outra estaremos atolados até o pescoço com nosso próprio lixo. Mas existe uma solução, a reciclagem! Veja o que é e anote algumas dicas.

Estive recentemente em São Sebastião, litoral norte do estado de São Paulo, que possui maravilhosas praias e natureza ainda preservada, e conversando com os moradores, descobri que a cidade é a primeira a implantar a coleta seletiva no Brasil!

Nos hotéis, pousadas e na praia existem lixeiras separadas para cada tipo de material e uma campanha de divulgação sobre a importância de se manter a praia, a cidade e a água limpas.. Ponto para a consciência ecológica e para as praias do litoral norte de São Paulo. Isto me deixa muito esperançoso e espero que a vocês também.

Esta é uma excelente deixa para falarmos um pouco mais na prática sobre um ponto importante a respeito do lixo que é a reciclagem.

Sabe-se que nosso lixo é muito rico em materiais nobres como ferro, cobre, alumínio, vidro, e outros são jogados fora diariamente. Além disto, o papel e plástico que são descartados podem se transformar em novos produtos, reduzindo o corte de árvores e a utilização do petróleo. O aproveitamento do que jogamos fora não é mais um mero "fetiche" de ecologistas ou um meio de se manter a cidade mais limpa, é questão de sobrevivência pois como todos sabem e, lembrando aqueles que não sabem os recursos que a natureza dispõe são FINITOS, e não INFINITOS o que significa que uma hora ou outra eles irão acabar!

Costumo brincar que as futuras minas de extração de material serão os atuais lixões, pois durante muitos anos temos enterrado nossas riquezas que não nos servem mais para uma dada função, ou pelo fato denão conseguimos enxergar novas utilizações. Aquele vidro de requeijão que vira copo d´água é uma antiga prática de reciclagem, tão discriminada mas muito importante para nos darmos conta de que as coisas não perdem suas funções, elas apenas mudam de função.

Se passarmos a enxergar com estes olhos, veremos que as coisas simplesmente mudam de função e a palavra lixo deixará de existir em pouco tempo! Um detalhe importante a ser citado antes de se falar na prática sobre a reciclagem . Se hoje estamos começando a nos preocupar com a questão do lixo é porque ela já começa anos afetar de maneira significativa e de modo ruim diga-se de passagem. Acredito que esta questão do lixo será em breve fundamental simplesmente porque nossa sobrevivência estará ameaçada por ela.

Vamos ver com mais detalhes o que é a reciclagem, o que pode ser reciclado, o que não pode e o que fazer na prática:

O que é a coleta seletiva?

A coleta seletiva é o processo de se separar os diversos materiais e encaminhá-los para os locais adequados aonde serão transformados novamente em produtos novos. Porém, para que a reciclagem seja um processo economicamente viável, é necessário toda uma infra-estrutura que vai desde os locais para a coleta até as industrias que farão o processo, apesar de em alguns casos não se necessitar obrigatoriamente de toda esta infra-estrutura. Ao poucos, os empresários estão percebendo que a reciclagem é um ótimo negócio em todos os aspectos, desde ou econômico passando pelo ambiental e o social.

Os códigos de cores dos recipientes.

Para separar o lixo em categorias de forma a organizar e facilitar a coleta, é utilizado um código de cores para cada recipiente que recebe um determinado material:

  • Amarelo: Identifica todo tipo de metal (ferro, alumínio, cobre, bronze, latão, zinco, etc...). Citando alguns dos materiais que pertencem a esta classe: as latinhas de alumínio, tampas de lata, latas de óleo, conserva etc, sucata, peças de metal, utensilios domésticos, e outros;
  • Azul: Identifica todo tipo de papel. Alguns exemplos são jornais, revistas, papelão, caixas de embalagens, cadernos, cartolina e etc;
  • Vermelho: Identifica todo tipo de plásticos. Alguns exemplos são potes, sacos, garrafas, tampas, plásticos duros, vários tipos de brinquedos e etc;
  • Verde: Identifica todo tipo de vidro. Alguns exemplos são garrafas, frascos, potes, cacos e recipientes em geral.
  • Preto: Em muitos locais esta cor identifica o lixo orgânico, que nada mais é do que comida, restos de vegetais, plantas mortas, aparas de árvores, folhas e etc.

O que não pode ser reciclado (por enquanto).

Nem todo o lixo pode ser reciclado, pelo menos por enquanto, sendo que estimativas dizem que cerca de 30% do lixo produzido no Brasil não é reciclável. Alguns exemplos de materiais que não podiam ser reciclados, pelo menos até o ano 2000 são:

  • No escritório: Papel carbono, papel de fax, etiquetas e fitas adesivas, fotografias, papéis plastificados, grampos e clipes;
  • Na cozinha: copos de plástico descartáveis, papel parafinado e metalizado;
  • No banheiro: Fraldas descartáveis, papel higiênico e papel toalha;
  • Outros ambientes: Espelhos planos, louça, porcelanas, isopor, espumas, pneus, filtros de ar, cristais.

O que podemos fazer na prática.

Acredito que a primeira coisa a fazer é se preocupar com o que está acontecendo na atualidade com relação aos lixões e a limpeza de sua cidade e, além disto, com o futuro de todos nós. Mas não basta termos consciência ou ficarmos indignados com a situação, é preciso agir efetivamente:

  • Participar da coleta seletiva, caso exista em sua cidade, separando corretamente o lixo nas categorias que descrevemos acima;
  • Entrar em contato com o garrafeiro, catador de papéis, sucateiro ou similar próximo de sua casa ou bairro. Você pode tanto dar o material como vendê-lo, mas não deixe de destinar corretamente o lixo reciclável;
  • Muitas instituições de caridade aceitam doações de materiais recicláveis para arrecadar fundos com sua venda;
  • Participar de campanhas institucionais. Muitas vezes estas campanhas além de promoverem um bem para a natureza, proporcionam o relacionamento com outras pessoas e novas amizades;
  • Fomentar em sua região, bairro, empresa, escola, comunidade, programas de coleta seletiva e etc. Lembre-se que para isto deverá ocorrer uma sensibilização das pessoas para que possam compreender o porquê da reciclagem e desta maneira estarem integradas e motivadas;
  • Procure iniciar o trabalho de coleta seletiva pelos metais e papel, que são materiais preferenciais no mercado.
  • Você mesmo pode reaproveitar e reciclar em sua casa, utilizando potes de vidro e embalagens plásticas para guardar objetos, alimentos (obviamente quando devidamente limpos e higienizados), fazendo artesanato; enfim, utilizando a criatividade. Você pode até mesmo ganhar um dinheirinho extra com a reciclagem.

No próximo artigo falaremos mais sobre a reciclagem.

Um abraço a todos e reciclem suas idéias também!

Referência(s)

Guia Ecológico Doméstico, de Maurício Waldman e Dan Schneider - Editora Contexto, 2000

Autor(a)

Daniel Pereira

Formado em Física / Astrofísica pela Universidade de São Paulo. Fez cursos nas faculdades de Filosofia, Geologia e Matemática na Universidade de São Paulo. Fez cursos na área de artes plásticas e história da arte no Centro Cultural São Paulo. Também frequentou o curso de Introdução a Psicanálise pelo Instituto Sedes Sapientiae. Atua na área de tecnologia e web desenvolvendo soluções voltadas para várias áreas do conhecimento, incluindo pesquisa com redes sociais. Atualmente atua para um grande portal de notícias.

Contato

danielusp@bol.com.br
@sermelhor
https://www.facebook.com/sitesermelhor

Revisão

Fabíola Piovesan - revisora de textos free-lancer, graduada em Letras - Português pela PUC-SP, participação do curso de extensão: "Preparação e revisão: o texto em foco" pela Editora UNESP. E-mail de contato: fapiovesan@yahoo.com.br

Veja Também

Comentários relacionados a este artigo