Acorda Brasil! Acordou?

Brasileiros querem mudanças no país, mas para isto precisamos mudar também!

Acorda Brasil! Acordou?

Brasileiros querem mudanças.

Esta afirmativa está presente não só mais no imaginário como na boca do povo.

Isto é um fato!

Queremos que os políticos tornem velhas promessas uma realidade.

Queremos que a nossa vida seja mais justa e digna e não apenas "maquiada" para inglês ver.

Queremos uma mobilidade maior em nosso transporte e com preço justo com relação a nossa economia.

Queremos segurança pública sem guerra.

Queremos verdadeiramente ensino e saúde de qualidade.

Todas essas reivindicações podem ser palpáveis sim.

Mas, será que todas essas mesmas reivindicações são somente deveres dos nossos políticos? Ou será que a população tem a sua cota de deveres a obedecer para que a engrenagem funcione?

Pensando cá com os meus botões e conversando aqui e ali tenho questionado se, realmente, todas essas metas que a nossa presidenta Dilma Rousseff apresentou em seu último pronunciamento surtirão o efeito que todos nós almejamos.

Por que o que eu percebo a cada esquina são atitudes que eu, você e o cara ali da esquina temos que mudar.

Mudar algo mais profundamente enraizado e que depende exclusivamente de si próprio
– o pensamento.

A gente grita #vemprarua nas redes sociais e mobiliza um grande número de pessoas para gritar #vemprarua na rua.

Nós sorrimos, debochamos, choramos, esperneamos, ajudamos a pessoa que caiu ao nosso lado, andamos, corremos, levantamos cartazes e bandeiras que nem mesmo imaginávamos que um ano atrás estaríamos levantando, apontamos os nomes dos que estão corrompendo o nosso país, vencemos, perdemos, quebramos coisas, ofendemos e machucamos pessoas, choramos de novo, ficamos petrificados, recebemos apoio de outros países... Enfim acordamos!

Será? Será? Será?

Questiono-me se acordamos mesmo quando recebo um telefonema de uma licitação de preços para a fabricação de uma bancada e em seguida solicitam que se agregue mais 40% ao valor total para que esta porcentagem possa ser embolsada posteriormente.

Quando vejo o simples ato de jogar lixo naquele lindo jardim da praça – Por que, afinal, há garis para recolherem aqueles papéis.

Quando vou à praia e não recolho o meu lixo e vários animais e organismos morrem devido ao lixo que eu não recolhi.

Quando vou à Prefeitura dar entrada no Alvará da empresa e o funcionário público está falando ao celular ou lixando a unha ao invés de atender a fila quilométrica que o espera.

Quando vou a um hospital do SUS e o médico que está de plantão naquele horário e que "bateu o cartão", mas, nem mesmo o cheiro dele está presente.

Quando mando meu filho à escola e ele retorna por que seus professores ficarão em greve por, no mínimo, um mês.

Quando reclamamos dos ônibus que estão pichados ou quebrados, mas, não foi o dono da empresa e/ou prefeito que saíram de suas salas e realizaram tais tarefas.

Quando vou à padaria ou locadora e não exijo a nota fiscal.

Quando o aluno não é participativo e é desrespeitoso em sala de aula com seu professor e quando questionado que nem sempre será assim – da facilidade de sua vida – e o mesmo responde que ele não precisa, pois, tem herança.

Quando o professor deixa de ser um mestre e se torna um terrorista em sala de aula praticando descaradamente bullying com seus alunos.

Quando o funcionário da prefeitura recebe a função de instalar os computadores novos nas salas de aula do colégio municipal ali da esquina e efetua apenas a troca de algumas peças nos computadores velhos e vende os novos a seu bel prazer.

Quando a escola recebe os mantimentos para a merenda dos alunos e os funcionários roubam os mesmos e substituem por outros de inferior qualidade.

Quando o diretor da mesma escola não solicita os reparos necessários nas instalações da escola para que os mesmos piorem e posteriormente seja necessária uma licitação de obra emergencial, pois desse modo ele terá a sua porcentagem assegurada.

Por tudo isso e muito mais é que questiono se apenas uma das metas da Presidenta Dilma Rousseff terá sucesso. Ela afirma que investirá pesado na saúde e que possivelmente contratará médicos do exterior.

Mas, eu digo: nós temos médicos!

O que se deve pensar é: Onde estão esses médicos que não estão em seus plantões atendendo? Como pode uma funcionária ter a digital de 10 outros funcionários que não comparecem ao seu horário de trabalho, mas, recebem por horas trabalhadas que não condizem com a realidade?

Devemos mudar o nosso pensamento que ainda é de muitas maneiras colonial e paternalista.

Dizemos que o nosso sistema político está corrompido, mas, nosso pensamento também o está.

Devemos deixar de querer tirar vantagem de tudo e de todos e deixar, finalmente, o "jeitinho brasileiro" de lado.

Se quisermos uma política de verdade e políticos de verdade, temos que ser cidadãos de verdade, para então termos uma pátria de verdade.

Autor(a)

Andrea Mattos

Contato

decabrazil@yahoo.com.br


Veja Também