Mito? Isto também pode acontecer com você!

Uma conversa, um peixe frito e um mistério... não é somente dar uma de detetive, é compreender o significado de algo que está dentro de cada um de nós.

Estava outro dia na casa de um amigo, que não via há muito tempo, e, aproveitando o convite, almocei por lá mesmo. O prato principal era um filé de peixe frito, que estava muito bom! A medida que comíamos e conversávamos senti que no meio do pedaço de peixe havia algo de estranho, algo rígido...era um grampo destes de papel! Óbvio que a cena foi constrangedora, não para mim mas para a mãe do meu amigo.

Algo estava errado em tudo aquilo, pois a senhora parecia abalada demais. Disse-lhe que não havia nada demais, que era uma coisa que poderia acontecer com qualquer um, etc., mas ela estava inconformada e logo meu conhecido se explicou.

Ele explicou que já havia acontecido isto antes, exatamente há uma semana atrás, e que um grampo foi encontrado no arroz. A mãe dele achava que algum vizinho havia feito uma "mandinga" para ela, e que os grampos apareciam no meio da comida para ferir alguém da família!

Mas o que tem a ver esta estória com os mitos, principalmente porque quando falamos em mito, logo lembramos dos deuses da Grécia Antiga ou dos nórdicos etc?

Eu respondo que tem tudo a ver! Tem a ver por um simples fato que é inerente a pessoa humana, a curiosidade ou a vontade de explicar o mundo. É ela quem nos move para a descoberta, o desafio, o conhecimento... Assim o desejo de descobrir o motivo por detrás das coisas sem uma explicação aparente para a natureza e seus fenômenos fez nascer o mito. O mito é uma tentativa de explicação, na verdade a primeira tentativa do homem, algo para aquietar nossa curiosidade. Assim nasceram os mitos sobre Rá, no Egito, Zeus, Netuno e os outros deuses na Grécia, Thor no norde da Europa e todas as lendas dos povos chamados primitivos que possuem cada qual a sua lenda, que é um mito. Os índios brasileiros possuem inúmeras lendas que associam aos elementos da natureza espíritos sagrados e, inclusive, sobre o porque da dominação do homem branco [1].

"Por definição Mito é um conjunto fechado de conhecimento, capaz de ordenar e dar significação a realidades do meio, importantes e prioritárias para o homem." (TELES,Antônio Xavier - 1990, pág. 11)

Assim a mãe de meu amigo, em busca de uma explicação para o fenômeno que ocorria, achou na crença popular e na desconfiança para com seus vizinhos a explicação, mesmo que esta seja no mínimo do outro mundo! Esta explicação pode ser considerada como um mito, baseado na crença popular.

E como terminou a história do peixe? Bom, como sou físico e me baseio no método científico e no raciocínio lógico, (sim, de vez em quando penso um pouco!) passei a analisar junto com meu amigo os fatos e os detalhes. Ele e a mãe de certa forma já haviam tentado verificar se não seria da farinha ou da água a origem do grampo, mas logo desistiram da idéia por se tratarem de dois tipos de alimento muito diferentes, inclusive nos ingredientes de preparo.

Procurei raciocinar pela linha de ligação comum entre ambos, inclusive se eram guardados no mesmo local ou a possibilidade de mais de um ingrediente estar contaminado pelos grampos. Mas eis que vem a resposta! O SAL era o único item comum entre os dois preparados! Em uma conversa com a mãe do meu amigo, descobrimos que a marca de sal utilizada nunca havia sido comprada antes e que era a primeira vez que utilizava ! Uma inspeção no sal logo comprovou a teoria e assim desapareceu o mito da "mandinga" já que não é de hoje que em muitos alimentos industrializados, sem um rígido controle de qualidade, existe todo tipo de "porcarias".

Quando relato este episódio não quero com isso, em absoluto, criticar as crenças religiosas das pessoas ou dizer que elas são ignorantes ou coisa parecida. Acima de tudo temos de respeitar as individualidades e as pessoas, mesmo porque já do berço adquirimos crenças através de terceiros, crenças que não são nossas. O que quero ilustar no texto é QUAL O CONCEITO DE MITO e como ele surge em nossa vida diária. Assim o mito, neste caso, deixou de ser mito pelo simples fato de termos aplicado o método dedutivo-lógico [2] para solucioná-lo.

Abraço a todos!

PS: Enviem críticas e comentários!

[1] "A três índios diferentes foram dados um arco branco, um arco preto e uma carabina. Os três chegaram às margens de um lago de águas muito claras. Os dois índios que escolheram os arcos não quiseram entrar no lago, puseram apenas as mãos em suas águas. As mãos ficaram brancas e eles tentaram limpá-las numa árvore. Aí ouviram a voz de Avinhoka (divindade protetora) que disse: 'Assim como a árvore, vocês não serão para sempre'. O terceiro índio, que havia escolhido a carabina, entrou na água e saiu completamente branco. Em seguida foi deitar-se sobre uma pedra. A esse, disse Avinhoka: 'assim como a pedra, você será eterno' ". (TELES,Antônio Xavier - 1990, pág. 11)

[2] Uma definição de lógica seria a Ciência ou estudo das inferências corretas do ponto de vista de sua validade. (TELES,Antônio Xavier - 1990, pág. 11)

Referência(s)

Antônio Xavier Teles - Introdução ao Estudo de Filosofia - Editora Ática, 1990

Autor(a)

Daniel Pereira

Formado em Física / Astrofísica pela Universidade de São Paulo. Fez cursos nas faculdades de Filosofia, Geologia e Matemática na Universidade de São Paulo. Fez cursos na área de artes plásticas e história da arte no Centro Cultural São Paulo. Também frequentou o curso de Introdução a Psicanálise pelo Instituto Sedes Sapientiae. Atua na área de tecnologia e web desenvolvendo soluções voltadas para várias áreas do conhecimento, incluindo pesquisa com redes sociais. Atualmente atua para um grande portal de notícias.

Contato

danielusp@bol.com.br
@sermelhor
https://www.facebook.com/sitesermelhor


Veja Também