Você sabe abraçar as oportunidades da vida?

Muitas pessoas se queixam de não ter sorte, de que sua vida nunca muda, entre outras coisas. Mas, será que isso é verdade?

Muitas pessoas se queixam de não ter sorte, de que sua vida nunca muda, entre outras coisas. Mas, será que isso é verdade?

Quem assistiu “O fabuloso destino de Amelie Poulain”( Jean-Pierre Jeunet,2001) certamente lembrará a cena em que um dos vizinhos de Amelie lhe diz que “certas oportunidades são como o “tour de France”. Ela passa, e , se você não entra, vai embora”... Aproveitando essa comparação para nosso contexto no Brasil, diria que as oportunidades são vários ônibus, passando incessantemente numa grande avenida, para vários destinos. Cada um de nós está num ponto desta avenida. Muitos entram nos ônibus, outros os deixam passar.

Afinal, como reconhecer oportunidades? Vamos a exemplos simples.

Certa vez, soube da estória de um rapaz absolutamente talentoso, que desenhava muito bem. Ele ainda estava no ensino médio e foi convidado para estagiar numa das maiores produtoras de quadrinhos do Brasil. Ou seja, o “ônibus” parou no seu ponto. Só bastava ele entrar. Porém, sabe o que aconteceu? Ele simplesmente não quis porque “era muito longe” e para se deslocar até o estúdio, precisaria pegar duas conduções. Pasmem! Acredito que, se este rapaz tivesse aproveitado esta oportunidade, estaria hoje com um ótimo emprego, fazendo o que gosta, numa situação econômica muito melhor. Outro exemplo: imagine que você está num consultório médico. Lá, uma pessoa muito interessante puxa conversa e vocês sentem bastante simpatia um pelo outro. Em seguida, um de vocês é chamado para a consulta. Vocês podem rapidamente trocar emails, telefone ou simplesmente dizer “tchau”. Para alguns pode parecer óbvio fazer isso, mas muitos deixariam esta chance passar. Pense agora, o que você faria, se fosse convidado para ir numa festa onde conhece uma ou duas pessoas apenas. Alguns diriam “ eu não vou porque não conheço ninguém”. Este é um caso típico de desperdício de oportunidade. Não conhece agora, mas fica conhecendo na hora! Poderia encontrar pessoas interessantes, amigos, contatos profissionais...

Além das que “aparecem”, existe ainda a possibilidade de cada um criar oportunidades. Como fazer isso? Um exemplo básico: você pode mandar um currículo para um lugar que gostaria de trabalhar, não importa se não há vagas no momento. Pode organizar um encontro de amigos em sua casa. É só usar sua criatividade.

Finalmente, sair, relacionar-se, é solo fértil para se obter ou criar oportunidades. Não fique parado no ponto, não deixe as oportunidades irem embora. Embarque em quantos ônibus precisar e viva a grande aventura da vida!

Autor(a)

Thelma C. de Canhete

Psicóloga, especializada em Psicopedagogia. Atualmente desenvolve trabalhos em saúde pública, tendo atuado também como educadora em Ongs e escolas.

Contato

cibellis@hotmail.com


Veja Também