8 de março, Dia Internacional da Mulher - Resgatando a sensibilidade em cada uma de nós.

Em homenagem ao dia das Mulheres escrevo um artigo que propõe reflexão a todas as pessoas: o resgate de nossa feminilidade

Em homenagem ao dia das Mulheres escrevo um artigo que propõe reflexão a todas as pessoas: o resgate de nossa feminilidade - tão pouco estimulada pelos modelos dos dias de hoje.

A feminilidade diz respeito a todos nós, seres humanos. Ela tem como características a sensibilidade, a intuição, o cuidado, o afeto e o acolhimento, mas são geralmente as mulheres que expressam mais esta feminilidade. Não é à toa que a Terra, a (Mãe) Natureza e a Ecologia são palavras femininas.

Atualmente os aspectos masculinos são muito valorizados – antes mais expressos nos homens, agora por ambos os sexos. Os aspectos da masculinidade são: a racionalidade, a objetividade, a praticidade, a competitividade, dentre outros.

Não há um aspecto melhor do que o outro, pois a masculinidade e a feminilidade integram-se e complementam-se. Estes aspectos são expressos pelo símbolo do yin e yang. São forças universais em harmonia.

Esta harmonia é fundamental para vivermos bem e com respeito. Num mundo em que há desequilíbrio, há o adoecimento social e a infelicidade das pessoas.

Noto, em meu convívio e entre os pacientes que atendo em psicologia, o quanto as pessoas estão infelizes e descontentes com suas vidas. Os seus sonhos não são seus, mas os vendidos pelas revistas e mídia em geral. Suas características pessoais também, muitas vezes, são causas de infelicidade e sofrimento na medida em que destoam dos modelos estéticos, profissionais e de consumo veiculados e valorizados na sociedade do efêmero e superficial.

Se desejamos viver melhor, temos que resgatar a nós mesmas, a nossa autenticidade, o que realmente somos, o que está por detrás das máscaras do cotidiano.

Nós mulheres temos um papel fundamental no resgate da feminilidade no mundo. Através da expressão dela em nós mesmas e da disseminação entre outras pessoas (homens e mulheres) que convivemos e nos filhos que nutrimos e criando.

Com o crescimento da feminilidade em todo o planeta a consequência natural é o respeito entre as pessoas e cultivo de hábitos sustentáveis e de respeito para com todas as formas de vida gestadas e alimentadas por nossa Mãe Terra /Natureza.

Autor(a)

Salete Monteiro Amador

Psicóloga formada pela PUC/SP, Pós graduada em Saúde Coletiva pela FUNDAP. É Terapeuta e Supervisora de Terapia Comunitária. Editora do Site Ser Melhor e Assessora Técnica em Saúde Pública.

Contato

salete_psi@yahoo.com.br
@sermelhor
https://www.facebook.com/sitesermelhor


Veja Também