A arte de educar filhos

Escrevo este texto inspirada na leitura do livro 'Não use livros sobre como educar seus filhos - um guia para resgatar o bom senso', escrito por Iara Pasta

Educar um filho nunca foi fácil, porém em épocas mais antigas havia um padrão de educação com papéis mais definidos. Apesar de rígido, os pais tinham mais claro o que era certo ou errado.

Atualmente existem diversos modelos de família, o que possibilita mais liberdade e respeito aos valores de cada um, porém essa diversidade pode gerar muitas dúvidas e confusões no papel dos pais e a respeito do que é educação.

Atualmente é comum buscarmos opiniões e conselhos de especialistas, pois por se basearem na ciência, suas opiniões nos parecem mais seguras e corretas. Seguimos o educador, filósofo, médico ou psicólogo.

Realmente todos eles têm muito a contribuir com o seu conhecimento, ampliando nossa visão sobre diversos assuntos, mas quais são os seus valores e crenças? O que vc acha importante transmitir aos seus filhos e filhas?

Educar é muito difícil mas se torna um desafio impossível se não nos dermos ouvidos e assumirmos a nossa responsabilidade como pais e mães. Não podemos confundir o nosso papel com o de carrascos, porém temos que ter cuidado para não sermos por demais permissivos.

O foco é a felicidade e autonomia de nossos filhos e filhas. Para tanto precisamos ajudá-los a conhecerem o mundo e fazerem escolhas maiores ou menores em termos de responsabilidade, conforme seu grau de amadurecimento. Não adianta criar os filhos pintando a vida em cor de rosa, mas também não podemos negar a eles espaço para brincar e fantasiar, fundamental para seu desenvolvimento saudável.

Equilíbrio e coerência com o que acreditamos é fundamental.

Em Inglês, por exemplo, existem duas palavras diferentes para educação: 'upbringing' que é a educação dada em casa e 'educate' que é a educação dada na escola. Em português o conceito de educação é ambíguo pois ele pode ser tanto o ensino de um conhecimento adquirido na escola quanto as boas maneiras aprendidas em casa. Esta ambiguidade parece mostrar-se no comportamento de certos pais que acreditam que a escola deve dar 100% da educação ('upbringing' e 'educate'), isentando-se da responsabilidade. O papel de educar ('upbringing') é dos pais e mães, não pode ser delegado à escola. Claro que uma escola com valores semelhantes aos nossos traz mais coerência ao que buscamos.

Após mais de 100 anos do início da Psicanálise, conhecemos a importância dos cuidados e relações entre pais, mães, cuidadores e filhos para o desenvolvimento saudável da personalidade das crianças, assim a dedicação, o tempo com nossos filhos são muito importantes e vão para além das questões de ganhos materiais.

É através desses relacionamentos iniciais e de nossos exemplos, mais do que aquilo que falamos, que as crianças aprendem a se relacionar consigo mesmas, com os outros e com o mundo a sua volta.

Assim nossa presença não pode ser substituída por um presente.

Temos que trabalhar, mas é importante termos um tempo disponível todos os dias para estar com nossos filhos, ensinando que estarmos juntos é muito precioso e que para ambos pais e filhos traz alegria e satisfação.

Referência(s)

  • Pasta, Iara - Não use livros sobre como educar seus filhos - um guia para resgatar o bom senso - 2003 - Editora Matrix

Autor(a)

Salete Monteiro Amador

Psicóloga formada pela PUC/SP, Pós graduada em Saúde Coletiva pela FUNDAP. É Terapeuta e Supervisora de Terapia Comunitária. Editora do Site Ser Melhor e Assessora Técnica em Saúde Pública.

Contato

salete_psi@yahoo.com.br
@sermelhor
https://www.facebook.com/sitesermelhor


Adquira pela Saraiva:

Veja Também