Livros que você precisa ler para o seu pequeno

Desde cedo é importante que as crianças leiam
Desde cedo é importante que as crianças leiam

O contato com os livros pode transformar a vida do seu filho. Saiba como incentivar esse hábito

Histórias são responsáveis pelo desenvolvimento das crianças e por impactos positivos até a vida adulta. Garantir o acesso a livros infantis de qualidade é uma forma de contribuir com o seu pequeno, pois a atividade facilita o aprendizado da linguagem, estimula a criatividade, auxilia a compreender o universo que o cerca e ainda estreita o relacionamento entre pais e filhos.

É possível apresentar o mundo do faz de conta para a criança desde quando ela ainda está na barriga da mãe. Conforme o seu pequeno cresce, as sugestões literárias também devem ir evoluindo, sempre em um ambiente tranquilo e interativo, como por exemplo, o quarto do bebê. É comum que a criança, nos primeiros anos, compreenda pouco sobre a história apresentada e prefira amassar, babar ou até mesmo rasgar o livro, e, mais tarde, acabe interrompendo a leitura e fazendo perguntas sobre o conteúdo. A dispersão é extremamente benéfica, por isso, não se preocupe se a atenção não estiver totalmente voltada para a história que está contando. Conforme a criança vai amadurecendo, o interesse pela literatura passa a ser natural, principalmente se o contato vier desde cedo. O mais importante é oferecer a oportunidade para que seu filho conheça o universo das possibilidades literárias, por isso, não desista!

Bons títulos para o seu filho

Pelo menos 2 mil novas histórias infantis ficam disponíveis nas prateleiras todos os anos no Brasil. Na dúvida sobre o que ler ou não para seu pequeno, é necessário ficar atenta ao conteúdo, pois cada publicação é recomendada para determinados momentos do crescimento.

A seguir, descubra 11 ótimas opções para ler antes de dormir:

1. Quem canta seus males espanta, de Theodora de Almeida, editora Caramelo
O livro está repleto de cantigas, parlendas e adivinhas que aprendemos de geração em geração, como a famosa Ciranda, cirandinha. Além de manter as tradições, a musicalidade incentiva o desenvolvimento da fala e a descoberta de novas palavras. De 0 a 2 anos.
2. Bárbaro, de Renato Moriconi, editora Companhia das Letras
Sem texto, o livro estimula a imaginação ao apresentar a jornada perigosa de um guerreiro em seu cavalo, até que, no final, a aventura não era nada como parecia. De 0 a 2 anos.
3. Flicts, de Ziraldo, editora Melhoramentos
Antes de publicar O Menino maluquinho, Ziraldo escreveu a história de uma cor "feia" que não se sente incluída em lugar nenhum. O desfecho ensina os pequenos a respeitar as diferenças e mostra o espaço de cada um no mundo. De 3 a 4 anos.
4. Adivinha quanto eu te amo, de Sam Mcbratney, editora Martins Fontes
Uma história de amor entre pai e filho pode mostrar que o amor não tem medida. É um ótimo lembrete para a fase em que a criança está entrando na escola e pode se sentir desamparada com a separação temporária da família. De 3 a 4 anos.
5. O Menino e o jacaré, de Maté, editora Brinque Book
Uma lenda indígena que valoriza importância da cultura e dos mitos do povo Kayapó vai mostrar às crianças o que aconteceu com o jovem Nuati, que tinha o hábito de insultar o jacaré do rio. De 5 a 6 anos.
6. Os Contos de Grimm, de Tatiana Belinky, editora Paulus
Com mais de dois séculos de existência, os clássicos contos de fadas infantis, como Rapunzel e Branca de Neve, nas versões dos irmãos Grimm podem ser um pouco diferentes das conhecidas pelas crianças. É uma ótima oportunidade para questionamentos e reflexões próprias. De 5 a 6 anos.
7. O Casamento de Emília, de Monteiro Lobato, editora Brasiliense
Um dos principais autores infantis do país, Lobato é o responsável por apresentar personagens do nosso folclore, como a Cuca, o Saci e o Boitatá. No livro, a boneca falante e Rabicó acabam separados para sempre. De 7 a 8 anos.
8. As Aventuras de Glauber & Hilda, de Índigo, editora Companhia das Letrinhas
Um casal de pulga e ácaro tenta sobreviver em situações complicadas do dia a dia, sempre de forma positiva e criativa. A história vai apresentar valores e regras de convivência para o seu filho. De 7 a 8 anos.
9. Ou Isto ou aquilo, de Cecília Meireles, editora Nova Fronteira
Uma boa forma de aprofundar as crianças no universo delicado da poesia é com uma das maiores poetisas do país. Os poemas mostram que sempre temos que fazer escolhas, a partir do olhar e dos sentimentos infantis. De 9 a 10 anos.
10. Planeta corpo, de Antonio di Benedetto, editora Globo
O livro explora o corpo humano como se fosse um planeta e revela todas as suas partes. Pode ajudar a mergulhar em assuntos como as diferenças entre os sexos feminino e masculino e as mudanças que começam a acontecer com a chegada da puberdade. De 9 a 10 anos.
11. O Diário de Zlata, de Zlata Filipovic, editora Companhia das Letras
A história real de uma menina que vivencia a eclosão da guerra na ex-Iugoslávia pode ajudar seu filho a entender as diferentes realidades do mundo, além de aprofundar os ensinamentos das aulas de história. De 11 a 12 anos.

As obras literárias podem ter preços elevados, mas são essenciais para o desenvolvimento do seu filho. Por isso, se preferir, você pode levá-lo a uma biblioteca pública e estimulá-lo a frequentar o espaço de leitura da escola. O importante é não privá-lo de oportunidades que mudarão a vida deles para sempre, como um delicado final de contos de fadas.

Autor(a)

Carolina Peres

Jornalista, coordenadora de marketing de conteúdo que trabalha para a área de marketing digital da Alô Bebê.

Contato

carolina.peres@seomarketing.com.br


Veja Também

As dúvidas das crianças sobre sexualidade devem ser esclarecidas?

É de grande importância que as dúvidas dos filhos relacionadas às questões sexuais sejam esclarecidas pelos pais, já que este esclarecimento é importante para um desenvolvimento saudável: a verdade sempre mostra o respeito para com o outro. As dúvidas devem ser esclarecidas a medida que aparecem com transparência, respeito e sinceridade. Esse esclarecimento pode ocorrer através dos pais e também por meio da escola, através de trabalhos como orientação sexual.