O que é Psicoterapia?

Muitas vezes o autoconhecimento consegue resolver uma infinidade de problemas pessoais. Para quem está disposto a se encarar de frente um psicólogo poderá ser de grande ajuda.

É uma das práticas da Psicologia, que tem por objetivo promover saúde, pois através do auto-conhecimento é possível melhorar a nossa relação com nós mesmos (conhecer melhor os nossos limites, desejos, dentre outros) e a relação com as pessoas e o mundo ao redor, diminuindo o nosso sofrimento mental e vivendo de forma mais saudável.

Assim o objetivo da psicoterapia vai além da “cura” dos sintomas, busca a realização integral do ser humano.

“A psicoterapia (...) refere-se à aplicação de procedimentos psicológicos, derivados de modelos que integram ciência, teoria e prática, fundamentados em aspectos cognitivos, emocionais, comportamentais, biológicos, psicológicos e sociais do funcionamento humano, de uma perspectiva etiológica e segundo modelos de desenvolvimento que abrangem fatores transculturais, sociais e econômicos, com a finalidade de explicar, prever e aliviar transtornos, deficiências e angústias, bem como promover o desenvolvimento integral e o ajustamento pessoal de indivíduos, através de métodos e técnicas de avaliação, planejamento e intervenção”.
(Mascarenhas, Eduardo et al – Grupo sobre grupo – Editora Racco, p.25, 1987)

Quem deve buscar por psicoterapia?

  • Pessoas que buscam auto-conhecimento ou que tenham questões existenciais.
  • Pessoas encaminhadas por vários profissionais: médicos, assistentes sociais, pedagogos, professores, fonoaudiólogos, dentre outros.
  • Pessoas que estejam passando por sofrimento e estejam sentindo dificuldades em resolver essa situação sozinhas.
  • Pessoas com questões emocionais relacionadas a: estresse, dificuldades de relacionamento, problemas relacionados ao trabalho, sentimento de inferioridade, tristeza constante, ansiedade constante, medos, agressividade, insônia, insegurança, irritação exagerada, situações de luto, crises conjugais, problemas sexuais (impotência, frigidez, ejaculação precoce), obesidade, frustração, ciúmes excessivo, sintomas físicos sem justificativa médica, dificuldades escolares, hiperatividade, questões relacionadas a dificuldade em envelhecer, educar os filhos, dentre outros.
  • Pessoas que buscam orientação profissional e sexual.
  • Pessoas que passaram por acidentes ou situações de violência: sequestros, assaltos, abusos e estupros, dentre outras situações traumáticas.
  • Pessoas com depressão, idéias de morte (suicídio), fobias, bulimia, anorexia, manias, tiques, problemas com drogas, síndrome do pânico e outros quadros psiquiátricos.


Veja Também