Repensar a escolha profissional

Todo início de ano temos a oportunidade de fazer novos planos, repensando as antigas escolhas, o momento presente e o que desejamos para o futuro. É importante procurarmos viver a nossa vida profissional o mais próxima possível de nossos desejos, encontrando satisfação na faculdade, profissão e/ou trabalho que realizamos.

Todo fim de ano dá uma sensação esquisita! Muitos de nós fizemos muitos planos, mas efetivamente concretizamos poucos. É verdade que alguns não eram tão relevantes e nem tão urgentes assim, mas é comum adiarmos a realização de planos importantes, que incluem os nossos desejos e nos quais podemos encontrar satisfação e motivação.

Existem limites sociais importantes, que dificultam a realização de alguns planos, mas tenho certeza que algumas realizações esbarram nas nossas próprias desculpas. Sabe, muitas vezes nos acomodamos e acostumamos até mesmo com aquilo que não está bom e que não nos traz realização.

Bem, vamos deixar o ano que passou para trás e pensar neste ano de agora, que só está no início e dá tempo para colocar muitas coisas em prática.

Este artigo é dedicado para todos aqueles que querem realizar projetos que realmente valham a pena para si mesmos, que traga satisfação. Não estou falando de satisfação apenas egoísta, mas de satisfação responsável, que leve em consideração o desejo pessoal e o sentido social do que se está procurando.

Estou escrevendo para aqueles que estudam este ano para fazer oVestibular e estão escolhendo uma profissão, para os que já passaram no Vestibular e iniciam a faculdade que escolheram, para os que já trabalham no que gostam, para os que ainda não trabalham, para os que trabalham no que não gostam, etc.

Passamos a maior parte de nossas vidas trabalhando, por isso é tão importante revermos constantemente o que estamos fazendo para não ficarmos atuando profissionalmente como robôs, sem crítica e esquecendo do sentido daquilo que realizamos. Sentido tanto para nós quanto para aqueles cujo nosso trabalho se dirige, seja direta ou indiretamente.

Para escolhermos o que realmente queremos temos que ouvir os nossos sentimentos (escutar o coração), ter informações reais sobre o que nos interessa e saber as pistas do caminho para chegar onde queremos.

Por exemplo: meu coração diz que desejo ser professora de Português, vou buscar lembrar de professores e pessoas dessa área que conheci e me inspiraram; vou conversar com professores para saber detalhes da profissão e como está o campo de trabalho; vou ler sobre o assunto em guias de profissão, jornais, dentre outros; vou visitar faculdades e conhecer os diferentes currículos, horários de cursos, preços, etc. Se já terminei o segundo grau vou ver se estudo sozinho ou faço cursinho para entrar na faculdade, se já sou formado e trabalho em outra área vou ver como farei para cursar a faculdade e trabalhar, etc. Se não terminei o colégio tenho que terminar, etc.

É muito importante escutarmos o nosso desejo. Hoje em dia muita gente fica doente porque é infeliz no trabalho e na vida. Mas é importante também conhecer as informações da realidade para sabermos onde estamos pisando, os desafios, se o emprego ou profissão realmente tem haver com o que imaginamos e esperamos. Além das nossas emoções temos que escutar a nossa razão e avaliarmos a situação e escolher o que vale a pena para nós.

Lembre-se o ano só está no início. Temos tempo de respensar nossas escolhas e avaliarmos com o coração e com a cabeça, a fim de podermos estar mais felizes e satifeitos com nossa vida. Repensando os objetivos pessoais e sociais do que desejamos concretizar.

Autor(a)

Salete Monteiro Amador

Psicóloga formada pela PUC/SP, Pós graduada em Saúde Coletiva pela FUNDAP. É Terapeuta e Supervisora de Terapia Comunitária. Editora do Site Ser Melhor e Assessora Técnica em Saúde Pública.

Contato

salete_psi@yahoo.com.br
@sermelhor
https://www.facebook.com/sitesermelhor


Veja Também