50% da poluição na cidade de São Paulo vem de ônibus e caminhões segundo pesquisa da USP

Pesquisadores da USP destacam que o valor é muito alto, uma vez que esses veículos representam somente 5% da frota na região metropolitana. Estudo foi publicado na Scientific Reports


A região metropolitana de São Paulo tem mais de 7 milhões de veículos porém apenas 5% destes são ônibus e caminhões mas que representam cerca de 50% da poluição da região segundo uma nova pesquisa realizada por físicos do Instituto de Física da USP que mediram durante três meses a poluição no centro de São Paulo, no período da primavera, que no geral acumula menos poluição devido as chuvas.

Segundo o professor Paulo Artaxo, um dos pesquisadores da equipe que realizou o estudo e membro da coordenação do Programa FAPESP de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas Globais A estimativa da emissão de poluentes de cada tipo de veículo é feita geralmente baseada em valores medidos em laboratório e multiplicados pelo número de veículos nas ruas. Um dos aspectos inovadores desse estudo foi utilizar o etanol na atmosfera, que é emitido somente por carros e motos. Com isso, pudemos separar a contribuição real de veículos leves, que emitem etanol, dos pesados, movidos a diesel e que não emitem etanol

Joel Ferreira de Brito, líder do estudo, enfatiza o importante papel do metrô e da melhoria na qualidade do transporte coletivo, além de lembrar que já existe tecnologia disponível e barata para filtrar as emissões de ônibus: Pelos resultados obtidos, certamente uma redução de uso de veículos na cidade de São Paulo, aliada à expansão da linha de metrô, por exemplo, é o primeiro e mais eficaz modo de minimizar a poluição na cidade. Um ótimo custo-benefício pode também ser obtido diminuindo as emissões de poluentes pelos ônibus

O estudo foi publicado no dia 16/07/2018 na revista Scientific Reports do grupo Nature sob o título Disentangling vehicular emission impact in urban air pollution using etanol as a tracer.

Mais informações na matéria da Agência FAPESP

Mais notícias

A bioenergia e a transição da energia limpa mundial

Conclusão é de relatório científico sobre bioenergia e sustentabilidade na América Latina e África. Documento foi lançado em evento na sede da FAPESP e pode ser acessado pela internet

View details »

2017 foi o primeiro ano em que a energia solar gerou mais eletricidade do que o uso de petróleo, carvão e gás somados

O setor de energia solar cresceu 18% em relação ao ano anterior. A China foi a maior investidora.

View details »