Victor Gill - Wikipedia
Victor Gill - Wikipedia

Experimento feito em São Paulo mostrou diminuição da poluição pela metade com greve dos caminhoneiros

De acordo com o patologista Paulo Saldiva, greve permitiu experimento natural raro que possibilitará medir o custo real da poluição na capital paulista, que inclui internações, mortes e incapacitação


A greve dos caminhoneiros de maio de 2018 e a greve dos metroviários em maio de 2017 foram eventos em que a equipe de Paulo Saldiva, diretor do Instituto de Estudos Avançados (IEA-USP), conseguiu efetuar experimentos relacionados a poluição na capital paulista.

A partir do dia 21 de maio de 2018, caminhoneiros de todo o Brasil fecharam inúmeras rodovias pelo país em protesto contra o aumento do diesel. Como consequência, além do desabastecimento de produtos, aeroportos tiveram voos cancelados, frotas de ônibus foram reduzidas e postos de gasolina pararam de funcionar por falta de combustível. Com isso milhões de veículos deixaram de emitir poluição. Quais as consequências disso para o meio ambiente?

Segundo Saldiva Houve uma redução de 50% da poluição na capital paulista. Esse é um episódio raro e vamos estudar suas consequências na saúde pública. Quem sabe essas evidências quantitativas sirvam de argumento para a criação de políticas públicas. Ainda segundo ele Na semana anterior ao episódio, a maior poluição foi na segunda e na sexta (14 e 18/05). Na primeira semana da greve, a poluição começou alta e piorou com a liberação do rodízio no dia 24 (quinta-feira). Quando a gasolina começa a rarear, há menos carros nas ruas e a frota de ônibus segue reduzida, os níveis de poluentes primários caem pela metade

No sétimo dia de greve dos caminhoneiros a qualidade do ar na capital paulista era considerada boa em todas as estações de medição o que é algo muito difícil de ser registrado.

Com os dados da redução da poluição, a equipe de pesquisadores vai fazer uma análise mais completa do fenômeno e cruzar os níveis de poluição e de congestionamento com os dados diários de mortalidade e internações no período.

Fato contrário à greve dos caminhoneiros foi a greve dos metroviários em 2017. Naquele caso a poluição aumentou pois com o rodízio na cidade de São Paulo liberada, mais carros circularam e a poluição aumentou. Segundo Saldiva neste dia morreram 12 pessoas a mais do que a média.

Os dados da pesquisa são importantes para estabelecer o custo real da poluição e para colocar em pauta políticas para a redução de emissões.

Mais informações na matéria de Maria Fernanda Ziegler | Agência FAPESP

Mais notícias

Amazônia é fator de destaque na luta para frear as mudanças climáticas

Pesquisadores destacam em evento a contribuição das florestas tropicais para a absorção do CO2 emitido por atividades humanas e os perigos do desmatamento

View details »
Praça do Ciclista, na Avenida Paulista - Foto de Willian Cruz

As ciclovias em São Paulo incentivam a adoção da bicicleta como meio de transporte

Estudo feito por pesquisadores da USP apontou que morar perto de ciclovias e ciclofaixas aumentou em 154% a chance de usar a bicicleta como meio de transporte

View details »