Inseto produz espuma para se proteger do calor

Pesquisadores da USP constatam que bolhas produzidas pela cigarrinha-da-raiz, que é uma importante praga da cana-de-açúcar, atuam como isolante térmico, mantendo a temperatura ideal para seu desenvolvimento


Durante o verão é possível observar no solo de canaviais, próximo à raiz da cana-de-açúcar, uma espuma semelhante à de sabão que envolve o corpo de um inseto conhecido popularmente como cigarrinha-da-raiz. A descoberta, feita durante um estudo realizado no âmbito do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Semioquímicos na Agricultura, foi publicada em um artigo na revista Scientific Reports.

O estudo do inseto mostra que, enquanto as temperaturas externas variaram entre 24,4 °C e 29,2 °C, a temperatura no interior da espuma se manteve constante ao longo do dia, em torno de 25 °C. A temperatura é a ideal para o desenvolvimento do inseto.

Confirmamos que a espuma promove proteção térmica aos insetos durante essa fase de seu desenvolvimento, afirmou Mateus Tonelli, doutorando em entomologia na Esalq e um dos autores do estudo.

A espuma produzida pelo inseto é feita a partir da própria seiva da cana, do qual a cigarrinha-da-raiz se alimenta, além de ar e de moléculas de ácidos palmítico e esteárico, proteínas e carboidratos, que reduzem a tensão superficial e interfacial para formar emulsões.

O conhecimento sobre as propriedades físicas e químicas da espuma que protege a cigarrinha-da-raiz pode abrir a possibilidade de desenvolvimento de compostos que possibilitem impedir a formação das bolhas pelo inseto e, consequentemente, controlar a praga.

Mais informações na matéria de Elton Alisson | Agência FAPESP

Mais notícias

Mudanças climáticas são inegavelmente causadas pela humanidade avaliam cientistas

Variabilidade natural do clima não explica o aumento da temperatura do planeta registrado desde o século XIX, avaliaram pesquisadores participantes da segunda edição do programa de TV ?CiênciAgência FAPESPa Aberta?

View details »

Super coral invade a costa brasileira desde os anos 80

Cientistas investigam os fatores que permitem às colônias de coral-sol se multiplicar com rapidez, tomando o lugar de espécies nativas

View details »