Imagem de neurônio de rato - Fonte: Wikipedia
Imagem de neurônio de rato - Fonte: Wikipedia

Neurônios desenvolvidos em laboratório podem diminuir a utilização de animais em testes

Método deve contribuir para a diminuição do uso de animais no desenvolvimento de analgésicos pela indústria farmacêutica


Quase cinco anos de pesquisas levaram neurocientistas brasileiros do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade Federal do Rio de Janeiro ( UFRJ ) e do Instituto DOr de Pesquisa e Ensino ao desenvolvimento em laboratório de neurônios sensoriais a partir de pele de seres humanos.

Os neurônios desenvolvidos tem propriedades semelhantes aos naturais na reação a substâncias químicas causadoras de irritação. Eles conseguem detectar estímulos dolorosos e produzem compostos químicos responsáveis por transmitir os sinais de dor ao cérebro. Tais neurônios são importantes para a utilização em pesquisas sobre analgésicos e podem contribuir para a diminuição da utilização de animais em testes de medicamentos, muito criticada por entidades de proteção animal e outros setores da sociedade.

As pesquisas também visam estudar o comportamento dos neurônios para auxiliar no desenvolvimento de novos medicamentos e tratamento de dores crônicas, um mal que atinge milhões de pessoas no mundo.

Mais detalhes em: Pesquisa Fapesp - Pesquisadores criam neurônios sensitivos em laboratório

Mais notícias

Extração de petróleo

Guerra por recursos naturais já representa 40% dos conflitos no mundo

António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas, alertou o Conselho de Segurança sobre o fato.

View details »
Praia em Singapura - Foto de Vaidehi Shah

Novo estudo indica que fungos podem ajudar no combate à poluição por plásticos

Novo estudo da Kew Botanical Gardens mostra que fungos podem "comer" plastico poliuretano, ajudando na degradação deste tipo de lixo que polui rios e oceanos

View details »