Hábitos que você deveria abandonar para ser mais feliz

Fazer menos coisas e preocupar-se menos pode ser o caminho da felicidade
Fazer menos coisas e preocupar-se menos pode ser o caminho da felicidade

Ao contrário do pensamento comum que para ser feliz temos que ter mais e mais atividades, este texto traz uma reflexão com diversas dicas sobre o que realmente é importante para você, inclusive propondo a redução da energia gasta com atividades irrelevantes em nossas vidas.

Você já pensou alguma vez que para ser mais feliz, para viver a vida de uma maneira melhor, mais leve e mais positiva você deveria DEIXAR de fazer algo, ao invés de fazer muitas coisas?

À primeira vista esta afirmação parece contraditória, mas na verdade não o é.

Apesar dos editores do site Ser Melhor não gostarem de alguns títulos de ‘auto-ajuda’ por serem mais voltados para a venda e enriquecimento dos autores desses livros do que necessariamente para ajudar as pessoas, as dicas deste texto têm em seu âmago a filosofia oriental, que preza o equilíbio, a calma e a crença que dentro de nós reside uma energia transformadora, não mística ou mágica, mas algo mais natural, algo que perdemos no mundo contemporâneo.

Estas dicas não são regras, muito menos podemos dizer que todas se aplicam exatamente a qualquer pessoa ou caso. Porém pode ser que uma, duas, dez delas façam sentido para você neste momento de sua vida. O importante é termos a consciência de que somos criaturas com limites e admitir isto já é o primeiro passo em direção às atitudes que nos fazem mais felizes.

Não podemos fazer o que é ideal, pois não existem coisas ideais no mundo real, o que podemos fazer é o possível, fazer o que está dentro de nossos limites e este é o melhor dos ideais.

Então, mais do que apenas ler e concordar, vamos tentar analisar e praticar.

Preocupar-se com absolutamente tudo

"A preocupação não pode tornar-se uma preocupação"

Esta é uma das piores coisas que podemos fazer a nós mesmos. Preocupar-se se ao sair de casa vão me assaltar, preocupar-se se a apresentação do projeto vai dar certo um mês antes, preocupar-se se vão gostar do presente de aniversário que comprei...

Preocupações são nossos maiores escravizadores, pois nos impedem de fazer uma enorme quantidade de coisas que nos dariam ou nos dão prazer. As preocupações nos dão a ilusão de que estamos trabalhando de modo a resolver problemas, mas no fundo não estamos. É como correr naquela rodinha do ramster, dentro da gaiola. Por mais que nos esforcemos nunca chegaremos a lugar algum.

Insegurança, medo do desconhecido, das mudanças e uma infinidade de outras coisas podem despertar este sentimento tão ruim.

Preocupar-se também pode ser um efeito colateral do “não ter nada o que fazer”, que é uma das piores coisas que um ser humano pode (ou não pode) fazer consigo e com os outros. Como nossa mente está sempre à procura de algo no qual se ligar, quando não temos uma atividade “produtiva”, ela se ligará a algo improdutivo que é arrumar preocupações.

Claro que algumas preocupações são legítimas mas elas não podem controlar nossas vidas, pois viver sob o véu da preocupação é estar cego à vida.

Faça uma análise de sua vida e suas ações e perceba aonde estão concentradas as suas preocupações. Elas são reais? O que posso fazer AGORA para resolvê-las? Se não tiver nada que possa fazer AGORA não adianta preocupar-se. Se estiver ocioso arrume algo para fazer, alguma atividade que lhe dê prazer.

Não tente fazer tudo sozinho para agradar ou sentir-se querido.

Ao contrário do que você possa pensar, dizer ‘sim’ para cada solicitação que fazem a você não é legal. Primeiro, não é legal porque pode deixá-lo emocional, mental e fisicamente drenado, esgotado. Em segundo, isto não é legal para as outras pessoas, pois as faz pensar que você tem tempo, energia e tudo o mais disponível para satisfazê-las, quando você não tem.

Geralmente pessoas que fazem os deveres dos outros as expensas delas mesmas tem baixa auto-estima e níveis muito elevados de infelicidade. Elas precisam da aprovação dos outros para sentirem-se valorizadas.

Para combater este comportamento de sempre tentar satisfazer os outros aprenda a dizer ‘não’. Geralmente dizer não para alguém na verdade é dizer ‘sim’ para você.

Procrastinar ou protelar

A melhor definição de procrastinação (ou enrolar para resolver alguma coisa, protelar) é estagnação. Quando você procrastina nada de bom pode acontecer em sua vida. Nós procrastinamos por vários motivos. Quando tememos o resultado de alguma coisa, inseguros em como terminar algo ou não sabemos como agir em certa situação. A questão é que gastamos mais tempo nos preocupando quanto nos custará ou quão difícil será resolver a questão do que simplesmente fazê-la.

É bem provável que você se sinta surpreendentemente confortável e resolva de maneira fácil um problema, decidindo fazer as coisas de uma vez por todas, ao invés de procrastinar.

Tente, ao indentificar que você está procrastinando algo, dizer um “pera ai”, ou um “para tudo” para você mesmo. Foque no que pode ser feito para resolver aquele problema e faça-o de uma vez.

Viver do passado

"Porque a vida passou antes que pudéssemos viver."

Victor Hugo

O passado já se foi e nós ainda continuamos desperdiçando tempo, pensando no que já aconteceu, gastando nosso precioso agora, o instante presente.

Manter pensamentos presos no passado é um veneno para a felicidade. Somos um produto do meio. O ambiente nos ajudou a formar a maneira como pensamos e nos sentimos com relação a nós mesmos. Todos nós enfrentamos desafios ao longo de nossa jornada pela vida, você não está sozinho.

Se você nutre ressentimentos, raiva, frustração ou outros sentimentos negativos de seu passado, não os ignore. Faça algo construtivo com relação a eles e só depois assuma seu presente.

Tentar antecipar tudo que poderá lhe acontecer no futuro.

"Não me preocupo com o futuro. Muito em breve ele virá."

Albert Einstein

Gastamos muito tempo pensando no que seremos ou o que acontecerá no futuro e, desta forma, estamos perdendo nossas vidas. Por exemplo, enquanto está tomando banho, você pode estar pensando naquela xícara de café que quer tomar e enquanto está tomando seu café, você pode estar pensando no caminho que fará para o trabalho.

Você nunca está conscientemente presente onde você está, e desta forma, nunca pode desfrutar do momento em que está vivendo, momento chamado ‘vida’.

O agora é o único tempo que existe. O agora é vida. Certifique-se de que o está aproveitando pois, depois que ele partir, não voltará mais.

Julgar os outros

"Perceber os defeitos dos outros será um talento?"

Stendhal

Quando você julga alguém, você sofre. O julgamento é uma demonstração de seu sentimento de inferioridade interior e raiva. Ninguém é melhor que ninguém. A pessoa que limpa o banheiro em um restaurante não é menos que um CEO que o usa.

Entenda que somos todos parte da raça humana, uma única raça. Nós somos um. Sua alegria é minha alegria e seu sofrimento é o meu sofrimento. Somente percebendo o sofrimento dos outros poderemos dar fim aos nossos próprios e ajudar os demais a conseguir o mesmo.

Comparar sua vida com a dos outros

É bom saber o que os outros andam fazendo de vez em quando. Afinal, é isto que nos ajuda a saber o que queremos e o que não queremos para nossas vidas. Mas comparar-se com os outros em tudo e a todo momento vai além do necessário. Quando fazemos isso deixamos de viver as nossas próprias vidas e passamos a viver a dos outros.

Você é único. Não importa o quanto tente ser como outra pessoa, você nunca será ela e nunca deveria querer ser.

Vergonha

Vergonha é uma debilidade emocional profunda, com raízes complexas. Seus primos são a culpa, humilhação, desmoralização, degradação e remorso. Depois de vivenciar um evento traumático, se recente ou no passado distante, a vergonha pode assombrar suas vítimas de uma maneira poderosa e, algumas vezes, de forma tão sutil e inconsciente que pode parecer irreconhecível.

A vergonha prejudica a cura e o processo de recuperação deixando as vítimas do trauma em um estado de congelamento, incapazes de perdoar a elas mesmas por estarem no lugar errado na hora errada. A vergonha deixa suas vítimas com sentimentos de tristeza e dor no âmago do ser. Elas são incapazes de sentir prazer e alegria em suas vidas.

Se você sente qualquer tipo de vergonha, reconheça-a antecipadamente. Tome a decisão de tentar perdoar-se e deixar a vergonha ir embora.

Por quanto tempo você pode ficar sem relembrar de coisas e sentimentos vergonhosos? Como seria diferente e melhor a sua vida se você pudesse perdoar a si mesmo? Com quem você poderia falar sobre isto?

Quanto mais você se perdoa, mais tempo disponível tem para focar sua mente em coisas boas.

Desorganização e preguiça

Queixamo-nos que não existem horas suficiente em apenas um dia para fazer tudo que queremos. Além disto, nossa preguiça, muitas vezes, nos leva a muitas horas de desorganização. A disciplina necessária para reorganizar a confusão em uma mesa de trabalho, um balcão, armário ou até mesmo em sua mente leva tempo.

Tornar-se organizado é um hábito. Comece com algo pequeno, como sua mesa de trabalho ou até mesmo fazendo sua cama depois de acordar.

Medo de tudo

"Você tem que decidir querer algo, mais do que o medo dele"

Bill Cosby

O medo é um dos principais fatores de tristeza e de uma vida pobre (não no sentido de dinheiro). É o medo que nos faz parar a vida, nos impede de seguir em frente. O medo de ser julgado, medo de ser desaprovado, ridicularizado, medo de não saber fazer as coisas, medo de não ser melhor que os outros, medo do desconhecido, medo de errar, medo das responsabilidades e até o medo de ser feliz.

O medo é uma parte importante de nós como seres humanos, pois ele impede, várias vezes, de nos metermos em enrascadas, de nos machucarmos ou até morrermos. Mas o medo, tornado crônico, nos mata sem mesmo estarmos mortos, mata nossas almas.

Para sair do ciclo do medo você deve tomar a decisão de querer ser feliz, incondicionalmente, ou viverá nas sombras. Depois de decidir tente, aos poucos e a cada dia, sair de sua zona de conforto e fazer algo que você nunca fez.

Necessidade de estar sempre ocupado.

Você já sentiu alguma vez incômodo por não estar fazendo nada? Sentiu-se culpado por não estar sendo produtivo em um final de semana?

Não confunda excesso de coisas para fazer com produtividade, pois são bem diferentes. Estar muito ocupado não significa que você está resolvendo as coisas ou produzindo algo útil. Em muitos casos você pode estar apenas gastando seu tempo e saúde.

A tecnologia nos traz, muitas vezes, esta necessidade de saber tudo, de fazer tudo, de conversar com todo mundo e ser amigo de todos, necessidades estas que a maior parte das vezes não existem e se existirem não deveriam ser levadas a sério.

Coloque em primeiro lugar as coisas que realmente são importantes e procure desligar-se do restante. Aprenda a deixar certas coisas irem embora e fique apenas com o que importa fazer. Mesmo que você tente nunca conseguirá fazer absolutamente tudo que está em sua cabeça e este acúmulo de obrigações apenas traz ansiedade e stress.

Metas Irreais

Metas são um ponto delicado e devem ser analisadas com bastante parcimônia.

Ter como meta neste ano conseguir um namorado ou namorada, por exemplo. Isto pode ser irreal, não pelo fato de você não ser capaz de conseguir um(a), mas pelo simples fato de que conquistar um namorado ou namorada não depende exclusivamente de você, depende do outro também!

Este tipo de meta irreal pode trazer mais frustração do que felicidade no final das contas.

Metas reais para este caso podem ser algo como: “este ano vou frequentar mais cursos que combinem com meu jeito de ser e que possa conhecer pessoas bacanas e interessantes”, “vou sair mais com os amigos para conhecer pessoas novas” ou “vou ser mais compreensiva com as pessoas e, assim, ser uma pessoa mais agradável”. Estas metas podem ser bem mais reais, pois dependem mais de você e maximizam as chances de um novo amor.

Assim como o exemplo acima, podemos estender esta idéia para inúmeras áreas de nossas vidas como um novo emprego, um novo projeto, a conclusão de um curso e etc.

Estas dicas ajudaram você? Você aplicou alguma delas e conseguiu resultados? Existe alguma filosofia de vida não comentada neste artigo que você segue e que o ajudou? Coloque nos comentários abaixo.



Veja Também