Os Perigos dos Chás contra Gripes e Resfriados

Muita gente compra medicamentos em forma de chá pensando em complementar o tratamento com os chamados antigripais. Mas o que a maioria não sabe, é que o que faz efeito nesses chás é a substância chamada paracetamol, que em doses mais elevadas, pode comprometer o fígado e levar o paciente à morte.

Muita gente compra esses medicamentos em forma de chá pensando em complementar o tratamento com os chamados antigripais, como o Naldecon e o Resfenol, por exemplo. Mas o que a maioria não sabe, é que o que faz efeito nesses chás é a substância chamada paracetamol, que encontra-se na dosagem de 500mg. O paracetamol serve como analgésico e antipirético (antitérmico), ou seja, para dores e febre. E muitos medicamentos contra gripe (como os dois citados anteriormente) e alguns analgésicos também possuem o paracetamol em suas composições.

Porém, não devemos associar medicamentos que contêm paracetamol, já que altas doses desta substância são hepatotóxicas (=tóxicas para o fígado). Isto acontece porque o paracetamol, depois de sofrer algumas transformações no organismo, forma diversas substâncias (metabólitos). Uma delas é tóxica. Todavia, em doses baixas ela é rapidamente neutralizada por uma substância chamada glutationa. Em doses altas, essa neutralização acaba com o estoque de glutationa, que é um antioxidante (protege as células contra os radicais livres). Sem glutationa, as células do fígado passam a ser atacadas pelos radicais livres, e consequentemente morrem, podendo levar a uma falência hepática seguida de morte do paciente em poucos dias. E se o paciente for usuário de bebidas alcoólicas, pior ainda. A dose tóxica de paracetamol é ainda menor do que para quem não bebe.

Segundo Anthony Wong, Chefe do Centro de Assistência Toxicológica (Ceatox) do Hospital das Clínicas de São Paulo:

  1. "Ao tomar mais de um remédio, primeiro verifique se eles contêm a substância paracetamol. Caso contenham, não ultrapasse a margem terapêutica recomendada (segundo a FDA nos EUA, esta é de 4 g / dia).
  2. Em segundo lugar, não se pode pensar que o medicamento é seguro só porque é vendido sem prescrição. São remédios como outro qualquer e requerem cuidado. É preciso lembrar que a intoxicação por paracetamol é muito mais frequente do que o que se pensava antigamente.
  3. Por último, nunca se deve fazer automedicação, mesmo com remédios de venda livre, principalmente para crianças. O fato de ser de venda livre não reduz em nada os possíveis efeitos danosos."
  4. "Além disso, quem ingerir três ou mais doses de bebidas destiladas (como uísque, pinga, vodca, gim) NÃO deve tomar paracetamol."

Conclusão: o chazinho não é apenas um chá, mas sim um medicamento! E como tal deve ser tomado com cautela. Quanto ao efeito, é exatamente a mesma coisa tomar um envelope de Vick Pyrena ("chá Vick") ou um comprimido de Tylenol 500mg. O fato de ele ser "quentinho" só traz uma sensação de maior conforto que, no entanto, é puramente psicológico.

Autor(a)

Luiz M. R. de Menezes

Farmacêutico-Bioquímico formado pela Univerdade Paulista (UNIP)
Possui mais de 10 anos de experiência no setor farmacêutico, tendo atuado em empresas como Drogasil, Instituto Ludwig, Farmasa, RC Dermatológica e Hospital das Clínicas.
Atualmente é o farmacêutico responsável por uma das unidades da Droga Rani.
Autor do blog Opinião Farmacêutica
http://opiniao-farmaceutica.blogspot.com

Contato

lukkam@gmail.com


Veja Também