Ciclo da Reciclagem: o lixo gerando novos produtos

Reciclagem de garrafas PET, alumínio e aço.
Reciclagem de garrafas PET, alumínio e aço.

Você está curioso sobre como é feita a reciclagem da garrafa daquele refrigerante que acabou de tomar? Ou das embalagens de isopor que envolvem uma infinidade de eletrodomésticos? Conheça mais sobre os processos de transformação e reciclagem do lixo em novos produtos, que geram inúmeros benefícios para você e para nosso planeta!

Rosemeri não sabe que o isopor que protege sua nova máquina de lavar pode ser reciclado. Paula guarda lâmpadas fluorescentes queimadas em casa, pois não sabe se elas podem ou não ser recicladas. Lurdes compra por semana em torno de 8 caixas de suco e leite em embalagens longa vida ou Tetra Pak, mas não sabe que pode destiná-las para reciclagem.

Talvez você, assim como elas, também esteja cheio de dúvidas quanto aos processos de reciclagem de cada tipo de material e é este o objetivo deste artigo, mostrar, de forma simplificada, alguns dos processos aplicados na reciclagem de papel, aço, alumínio, plástico e outros.

Muitas famílias hoje dependem da indústria da reciclagem. A maior parte delas trabalha na coleta e separação dos materiais, como é o caso de Neusa Maria, uma agente ambiental que recolhe latas de alumínio e outros materiais pelas ruas de São Paulo.

Neusa Maria faz parte de um processo enorme que envolve pessoas, indústria e sociedade e que imita o próprio funcionamento do planeta em seus ciclos de criação e destruição, que funcionam há muitos bilhões de anos. Desta forma, equilíbrios são mantidos ou reconfigurados.

Hoje a indústria da reciclagem está em um estágio tecnológico bem avançado. É possível reciclar materiais que, há alguns anos, não podiam ser reaproveitados ou cujo processo era extremamente complicado, como as lâmpadas e as embalagens longa vida ou Tetra Pak.

Listamos abaixo os vários processos envolvidos na reciclagem dos principais materiais presentes em nosso dia a dia. Alguns dos processos podem variar dependendo da indústria que os processa, ou seja, cada indústria de reciclagem pode utilizar métodos ou etapas um pouco diferentes das sequências apresentadas.

Latas de Alumínio

O Brasil é o campeão mundial de reciclagem de latas de alumínio, muito disto se deve aos agentes de reciclagem que as coletam nas ruas. Além disto, fazer alumínio, a partir da reciclagem, gasta menos de 5% da energia e emite em torno de 5% do gás carbônico utilizado para se extrair e processar a bauxita da natureza.

O processo de reciclagem industrial segue os seguintes passos:

  1. as latas são coletadas por cooperativas em escolas, supermercados, condominios ou por catadores individuais que as encontram pelas ruas;
  2. são prensadas e empacotadas por sucateiros para facilitar o transporte;
  3. seguem para a indústria de fundição;
  4. em fornos, com temperaturas acima de de 660º, as latas são derretidas;
  5. saindo do forno, o alumínio derretido é transformado em lingotes que são barras ou tiras de metal;
  6. os lingotes são revendidos aos fabricantes de lâminas de alumínio, que, por sua vez, revendem à indústria de alumínio.

Resultado:

São fabricadas novas latas, acessórios de carros, bicicletas, janelas e portões e qualquer outro produto cuja matéria prima leve alumínio.

Matéria da Época Negócios sobre reciclagem de alumínio

Uma matéria muito interessante da TV Folha sobre o ciclo de reciclagem do alumínio

Metais - Latas ou embalagens de aço

Os metais, mais especificamente as latas de aço, utilizadas para armazenar conservas, azeite, etc. são os materiais mais ecológicos de nossa indústria, isto porque, além de seu ciclo de reciclagem ser infinito, uma lata ou embalagem de aço, ao contrário de outros materiais que podem levar décadas, séculos para serem absorvidos, se deixada na natureza em 5 anos (em média) retorna para o solo como minério de ferro, sem risco de poluição ou contaminação. Além disto, reciclar aço economiza 67% da energia utilizada para a produção de aço extraído da natureza.

O processo de reciclagem industrial segue os seguintes passos:

  1. as latas são coletadas por cooperativas em escolas, supermercados, condomínios ou por catadores individuais que as encontram pelas ruas. Veículos em desmanches também tem partes enviadas para a indústria da reciclagem de aço;
  2. São separadas do lixo através de eletroímãns;
  3. São compactadas em forma de grandes cubos e enviadas para as siderúrgicas;
  4. Na siderúrgina o aço é derretido em auto-fornos e transformado em novas chapas e bobinas de aço.

Resultado:

Podem ser feitos os mesmos produtos que foram reciclados sem perda de qualidade entre o aço “novo” e o reciclado. Carros, latas, embalagens, talheres, etc.

Vídeo da CSN - Companhia Siderúrgica Nacional sobre o processo de reciclagem do aço

Ciclo do Aço Inoxidável

Reciclagem de Carros

Vidro

O vidro é um dos materiais mais nobres e importantes que temos. Por causa de sua inércia a reações químicas é um excelente material para se armazenar produtos e conservá-los.

O processo de reciclagem industrial segue os seguintes passos:

  1. é coletado e separado por cor (verde, marrom ou transparente);
  2. o que foi selecionado é submetido a um eletroímã para retirada de qualquer tipo de metal, como resíduo de tampas;
  3. segue para um processo de lavagem em grandes tanques com água;
  4. vai para uma esteira ou mesa para a retirada de impurezas, como pedras, outros vidros, terra, plásticos;
  5. os objetos (garrafas, frascos) são colocados em um triturador, que transforma o vidro em cacos homogêneos. Esses cacos vão para uma esteira, que os leva a um segundo eletroímã, que retira qualquer metal que ainda tenha permanecido;
  6. por último, o material é armazenado e encaminhado à indústria vidraceira, que o submeterá a temperaturas entre 1000°C e 1200°C e irá transformá-lo em novos artefatos de vidro.

Resultado:

Garrafas e frascos. Também é usado na indústria de fibra de vidro e serve de matéria-prima para objetos como pranchas de surf.

Apesar de estar em Inglês, o vídeo ilustra bem o processo de reciclagem. O Vidro é limpo separado por cores, triturado e misturado junto com a matéria prima de vidro novo.

O vidro automotivo também pode ser reciclado conforme mostra esta reportagem da TV Cultura

Lâmpadas Fluorescentes

As lâmpadas fluorescentes foram por algum tempo classificadas como um produto que não podia ser reciclado, porém hoje já existe tecnologia que o permite fazer. Por ser ainda muito caro geralmente apenas empresas que querem ganhar certificados ambientais costumam enviar suas lâmpadas para descontaminação e reciclagem, além de terem de pagar por este serviço.

O processo de reciclagem industrial segue os seguintes passos:

  1. As lâmpadas são recolhidas nas empresas que pagam pela reciclagem;
  2. Os soquetes de metal, que ficam nas extremidades da lâmpada são retiradas para um processo separado de reciclagem;
  3. A parte de vidro é moída e o vapor de mercúrio é aspirado e separado;
  4. O pó de fósforo, que reveste o interior da lâmpada, juntamente com a maior parte do mercúrio fica no vidro da lâmpada. Este vidro passa por um processo de descontaminação em que mais mercúrio é retirado e o vidro sai limpo.

Resultado:

O mercúrio é utilizado em equipamentos de precisão e na indústria farmacêutica. O metal é enviado para a reciclagem convencional. O vidro é utilizado na produção de cerâmicas e pisos.

Matéria da Rede Bandeirantes sobre reciclagem de lâmpadas fluorescentes

O vidro das lâmpadas entra na fabricação de cerâmica como mostra a reportagem do programa Balanço Social

Papel

O processo de reciclagem industrial segue os seguintes passos:

  1. é separado do lixo comum e vendido a sucateiros, que o enviam a depósitos;
  2. o papel é prensado, colocado em fardos e repassado a profissionais chamados aparistas;
  3. os aparistas classificam as aparas e revendem à indústria papeleira como matéria-prima;
  4. na fábrica, o papel entra em um grande liquidificador, denominado Hidrapulper, que o desfaz e mistura água para que se forme uma pasta;
  5. são aplicados compostos químicos para tirar a tinta do papel e outras substâncias;
  6. a pasta é branqueada com compostos de cloro e encaminhada às máquinas de molde do papel.

Resultado:

Cadernos, revistas, jornais, dentre outros.

Embalagens longa vida ou Tetra Pak

As embalagens longa vida ou Tetra Pak, que antes representavam um grande problema pois a composição de plástico e aluminio era muito difícil de ser separada, agora ganha novo método de reciclagem.

O processo de reciclagem industrial segue os seguintes passos:

  1. As embalagens são recolhidas e enviadas para centrais de triagem onde são compactados em fardos que vão para empresas recicladoras de papel;
  2. Na recicladora de papel as embalagens são trituradas com água em grande máquinas parecidas com liquidificadores. Assim as fibras do papel são separadas do composto plástico/alumínio;
  3. As fibras de papel sofrem o processo de reciclagem normal para o papel;
  4. O composto de plástico e alumínio que sobrou do processo anterior segue para dois destinos diferentes;
  5. Em torno de 20% é transformado em telhas e casinhas para animais de estimação;
  6. Os outros 80% vão para uma outra indústria que, através de fornos com jatos de plasma que atingem até 15.000°C, separam o composto plástico/alumínio;
  7. O plástico é transformado em parafina e o alumínio é recuperado e transformado em lingotes que voltam para a indústria.

Resultado:

Papel e papelão, alumínio em lingotes pronto para fabricar produtos a base de alumínio, telhas, casinhas para animais de estimação e parafina.

Através do site Rota da Reciclagem você fica sabendo onde levar as embalagens longa vida para reciclagem.

Matéria sobre a reciclagem de embalagens longa vida do programa Cidades e Soluções

Garrafas de Plástico - Garrafas PET

Ao lado das sacolas plásticas, as garrafas PET são das principais fontes de poluição de córregos, rios e mares. São elas que, muitas vezes, entopem bueiros que fazem as cidades alagarem ou servem como pontos de acúmulo de água, foco de desenvolvimento e proliferação do mosquito da dengue. Reciclar PET, além de ajudar na economia de material e energia, é uma questão de saúde pública.

O processo de reciclagem industrial segue os seguintes passos:

  1. as embalagens de plástico e PET são retiradas do lixo comum;
  2. são separadas por cor e prensadas. Isso facilita o destino final do produto para que seja mantida a uniforidade de cor;
  3. em grandes trituradores as embalagens são moídas e transformadas em flocos;
  4. passam, então, por um processo de lavagem e descontaminação;
  5. os flocos são separados e armazenados para o transporte;
  6. são distribuídos para diferentes indústrias - o polímero de PET é muito versátil e pode ser utiizado em diversos segmentos.

Resultado:

Tapetes, carpetes, vassouras, escovas, tecidos, forrações, cordas e filtros.

Plástico Rígido (baldes, cabides e outros objetos)

O processo de reciclagem industrial segue os seguintes passos:

  1. coletado do lixo, separado e embrulhado em fardos para o transporte;
  2. passa por um processo de montagem, lavagem e secagem;
  3. entra em um aparelho chamado aglutinador, que aquece o material e o transforma numa pasta;
  4. acrescenta-se água em pequenas quantidades para aumentar sua densidade;
  5. o material é transformado em tiras, como um espaguete. As tiras sofrem um banho de resfriamento para se solidificarem;
  6. elas são picotadas até virarem grãos (pellets) e revendidas à indústria plástica.

Resultado:

Baldes, conduítes, acessórios para automóveis, cabides e outros produtos a base de plástico.

Isopor ou EPS

O isopor também foi por algum tempo classificado como material que não podia ser reciclado, porém, hoje, ele pode ser 100% reaproveitado. O Isopor ou EPS é uma espécie de plástico que possui em seu interior basicamente micropérolas de ar (80% do isopor é composto por ar). O grande problema do isopor é seu volume, que faz com que o transporte seja muito caro. Uma carreta que pode ser carregada com 25 toneladas não chega a carregar 600 kg de isopor.

O processo de reciclagem industrial segue os seguintes passos:

  1. O isopor é recolhido dos centros geradores;
  2. Ele deve ser limpo, etiquetas e outros devem ser retirados de sua superfície antes de seguir o processo;
  3. Ele é triturado e compactado em uma espécie de tubo (Polietileno);
  4. Este tubo compactado é triturado novamente e vira uma espécie de pó;
  5. O pó resultante deste processo é enviado para as indústrias que fabricarão novos produtos.

Resultado:

Acabamento para residências, pisos e lages (em substituição do concreto).

Reportagem do programa Caminhos do Oeste sobre reciclagem de isopor

Matéria sobre reciclagem de isopor do programa Cidades e Soluções - Parte I

Matéria sobre reciclagem de isopor do programa Cidades e Soluções - Parte II

Pneus

Os pneus, ao lado das garrafas PET, são outro problema que também envolve saúde pública por serem também foco de proliferação do mosquito que transmite a Dengue.

O processo de reciclagem industrial segue os seguintes passos:

  1. retirados e coletados do lixo e encaminhados à indústria da reciclagem;
  2. o pneu é cortado e triturado;
  3. o aço, que compõe a trama interna do pneu, é retirado para posterior reciclagem;
    Neste ponto o pneu pode ser utilizado na fabricação de pisos para quadras e asfalto.
  4. as lascas são moídas e passam por um tratamento químico para desvulcanização da borracha;
  5. o produto obtido da desvulcanização é refinado em grandes moinhos;
  6. obtêm-se uma manta de borracha ou grãos;
  7. são armazenados e enviados à indústria de borracha.

Resultado:

Tapetes para automóveis, solados de sapatos, adesivos, passadeiras, etc.

Vídeo da empresa Okazaki sobre um tipo de processo de reciclagem de pneus

Conclusão

Reciclar traz inúmeros benefícios: economia de energia, menor emissão de gases que influenciam o aquecimento global, menor degradação do ecossistema pela extração de matéria prima, menor necessidade de criação e maior tempo de vida de aterros sanitários ou lixões, além de benefícios na saúde pública e movimentação da economia como a criação de novos ciclos ecomômicos e o sustento de milhares de famílias.

Considerando todas estas vantagens não reciclar, hoje, é mais uma questão de “preguiça” de nossa parte do que propriamente uma impossibilidade industrial de processar novamente o que jogamos fora.

Procure em sua cidade ou bairro um posto de coleta seletiva, gaste um pouco de seu tempo separando em sua casa o que pode e o que não pode ser reciclado e vamos acabar de vez com a nossa imobilidade ambiental!

Leia também: Lâmpada de Garrafa PET - Luz de graça e economia na conta de energia

Leia também: Os três R's (erres) do consumo consciente

Leia também: Lixo eletrônico - problema e soluções

Leia também: A fábula do lixo que se multiplicava



Veja Também